FANDOM


Krypton era um planeta que existia a 2.000 anos-luz da Terra. É o planeta natal do Superman, e da Supergirl, da Poderosa, Zod, Jor-El, Zor-El e vários outros. Lá viviam muitas e diversas espécies de animais. Atualmente não existe mais, pois ele explodiu devido a uma instabilidade de seu núcleo.

Histórico Editar

O planeta foi separado em guildas, dois conhecidos sendo a ciência e militar. 

Guerra com Daxam Editar

Krypton é conhecido por ter rivalidade com seu planeta irmão de Daxam sobre várias coisas como Democracia vs Monarquia e como a vida deve ser vivida. Ambos Krypton e Daxam foram para a guerra sobre seus respectivos ideais, com milhares de vítimas.

Destruição Editar

Quando o planeta estava em caos, Kal-El foi enviado para a Terra junto com seu primo, Kara Zor-El , para cuidar dele. Logo após a sua partida, o planeta explodiu, destruindo-o e enviando peças radioativas do mineral, a kryptonita , voando para o espaço, particularmente para a Terra. 

Do sistema solar Editar

Krypton se localizava na galáxia XY-279, no aglomerado Q-91, no superaglomerado Beta 9, hiperaglomerado local.

O sistema solar de Krypton tinha um único sol, uma hipergigante vermelha, conhecido como Rao, que era considerado um deus no planeta. O sol tinha mil vezes o tamanho do sol da Terra e 300 vezes a sua massa. O sistema solar era composto por cinco mundos conhecidos como: Rao I (Boron)Rao II (Thalon)Rao III (Pharon), Rao IV (Krypton) e Rao V (Halon), apenas Krypton, duas de suas luas e Dravn, lua de Thalon, tinham vida senciente, apesar de haver vida em Thalon, semi-cenciente, e Halon, não senciente.

Da vida e suas formas Editar

Os kryptonianos eram a espécie dominante, mas não a única, do planeta.

Rondor Editar

Rondor era uma espécie de rinoceronte Kryptoniano que tinha propriedades curativas. Era considerado um animal sagrado, portanto, alguém que matasse um rondor estaria cometendo um crime imperdoável.

Yagrum Editar

Era um monstro, parecido ao Kraken da Terra, tinha aproximadamente 200Km2, e cem tentáculos. Era extremamente feroz e altamente perigoso, também era muito raro e vivia apenas em Morstil e Boilong.

História Editar

A história de Krypton começa há muitos milhões de anos.

A história de Krypton é normalmente dividida em quatro períodos:

  • História Primordial: são os eventos ocorridos nos primórdios da civilização de Krypton;
  • História Antiga: são eventos ocorridos depois das eras iniciais da civilização;
  • História Moderna: é o período compreendido entre os períodos Antigo e Contemporâneo;
  • História Contemporânea: são os eventos ocorridos nas últimas eras de Krypton.

História Primordial Editar

No começo de sua existência, Krypton foi visitada por uma raça alienígena que fez experimentos com primatas que existiam no planeta, a partir de tais experimentos teriam sido criados os kryptonianos.

História Antiga Editar

No início os kryptonianos eram uma raça guerreira e, apesar da origem comum de seu povo, eles tinham grandes desavenças entre as diversas tribos e "povos". Isso continuou até que Mar-Ork, da Tribo das Serpentes de Lurvan, e Isia Ar-Kon, da Tribo Sangue de Urrika, se casaram e começaram a unir o planeta em torno de um governo centralizado, este sendo um matriarcado.

Cythonna e a Guerra de Fogo e Gelo Editar

Há muitos milhares de anos atrás, segundo o Mui Antigo Livro da História de Krypton, o planeta era governado pelas mulheres que cultuavam a deusa Cythonna.

Em decorrência disso, as mulheres eram más para com os homens, lhes oprimindo e sendo extremamente dominadoras e cruéis.

Porém Rao, Deus do Fogo, do Calor e da Vida, acabou por compadecer-se pelos homens e lutou contra Cythonna na lendária Guerra de Fogo e Gelo. Rao e seus aliados venceram a batalha e expulsaram Cythonna para outra dimensão e libertaram os homens do julgo das mulheres. Depois disso a sociedade, na maior parte do planeta, se tornou patriarcal.

Fim da monarquia Editar

Devido aos abusos feitos pelos reis durante milhares de anos, os kryptonianos decidiram derrubar seus reis e criaram um governo popular em Krypton, podendo ser gerido por homens ou por mulheres. Tendo como órgão máximo o Alto Conselho de Krypton e como cargo superior o de Supremo Chanceler de Krypton.

O Erradicador Editar

Há mais de 10.000 anos atrás um robô-espaçonave caiu em Krypton e passou a ensinar as mais diversas ciências ao povo do planeta.

Com o passar do tempo os kryptonianos passaram a controlar diversas tecnologias com as quais nunca dantes haviam sequer sonhado, devido a isso, e a outros fatores, os kryptonianos passaram a cultua-lo como: Erradicador, o Deus das Ciências e do Conhecimento.

Porém, quanto mais tempo passava mais ele queria dominar as coisas em Krypton. Em um de seus atos ele tentou acabar com a religião oficial do estado, o Raoísmo, e se tornar o único deus do planeta. Tal ideia foi considerada uma afronta pelos kryptonianos e, em decorrência disso, ele acabaram por expulsá-lo do planeta. Mas antes de ir embora ele conseguiu transformar o planeta inteiro em um ser semi-senciente e também uniu o DNA kyptoniano ao DNA artificial que criará para o planeta, o que acabou fazendo com que os kryptonianos ficassem ligados ao seu mundo. Os drásticos efeitos causados por isso só foram conhecidos quando eles tentaram exploração espacial.

História Moderna Editar

É um dos períodos mais conturbados da existência de Krypton, normalmente aceito como iniciado logo após a expulsão do Erradicador.

História dos clones Editar

Em Krypton, a clonagem era feita para utilizar-se os órgãos dos clones em kryptonianos doentes, porém existiam grupos que defendiam os direitos dos clones, o mais radical era o Zero Negativo.

Há algumas centenas de anos um jovem rapaz ia se casar com uma bela moça que conhecera, mas dias antes ele descobriu que sua noiva era na verdade um clone de sua mãe. Depois de descobrir isso ele acabou por a matar e tentou se suicidar, mas foi impedido pelas forças de segurança de Krypton. Foi preso e condenado a prisão de cristal, pois pelas leis era considerado como tento matado sua própria mãe.

Zero Negativo Editar

O Zero Negativo era um grupo que lutava pela liberdade dos clones. Após o incidente do noivado eles acabaram por ganhar mais adeptos e seguidores e iniciaram uma guerra civil.

Guerra Civil Editar

A guerra civil iniciada pelo Zero Negativo foi de proporções nunca antes vistas e envolveu todos os kryptonianos de forma direta ou indireta e acabou por devastar o planeta que ficou esfacelado e transformou-se em um deserto estéril. Após a guerra todos no planeta sofreram por seus entes queridos que morreram no conflito, um dos heróis que lá apareceram foi Sur-El, ancestral de Superman que deu a sua vida para acabar com a guerra seu símbolo era um S dentro de um escudo, que passou a ser o símbolo de sua família.

Sur-El era um jovem oficial do exercito de Krypton e passou a ser considerado por muitos como divino pelos milagres que dizem ter feito em vida e após sua morte.

A guerra civil causou dor, sofrimento e medo em todos no planeta. Ela repercutiu por séculos depois e era lembrada como a última guerra, apesar de ter havido outras depois, pois não houve outra guerra dessa proporção nem antes nem depois.

Antes de ser derrotado o Zero Negativo conseguiu construir uma poderosa bomba químico-nuclear que foi parar no núcleo do planeta e que deveria destruí-lo, porém acabou aparentemente por falhar. Seus lideres foram então aprisionados na prisão de cristal para lá ficarem e não causarem mais problemas.

Após o fim da Guerra Civil o governo decidiu criar uma Força de Defesa Planetária em caráter permanente. Além disso, o governo também decidiu proibir a clonagem de qualquer ser consciente.

História Contemporânea Editar

Muito tempo após o fim da guerra civil, os kryptonianos começaram suas viagens por seu sistema solar, indo primeiramente para suas luas, para depois seguir aos outros mundos e sistemas solares, porém quando a primeira nave tripulada de Krypton se afastou a uma grande distancia do planeta os tripulantes acabaram por morrer misteriosamente e o mesmo aconteceu aos outros que tentaram a mesma coisa, todos morreram, mas ninguém soube explicar o porquê disso.

Muito tempo passou até que o Grande Conselho de Krypton decidiu proibir a viagem de naves tripuladas para fora do Sistema Rao, tempos depois foram construídos os primeiros robôs-nave, baseados no mesmo que caíra em Krypton tempos antes, sendo esses robôs teriam a missão de ir de mundo em mundo e coletar todas as informações possíveis e então voltar a Krypton. Sendo assim eles não correriam o risco de morrer e continuariam a exploração através da galáxia e além, para o resto do universo.

Ocorreram alguns conflitos nessa época, mas foram apenas alguns pequenos focos que não causaram grande alvoroço.

Essa foi também a era de grandes descobertas como a criação/descoberta da Zona Fantasma.

Cultura, religião e ciência Editar

"Em Krypton religião é ciência Kal-El.General Dru-Zod sobre o Raoísmo."

Alfabeto kryptoniano

Alfabeto kryptoniano

Em Krypton existia uma única religião que era conhecida como Raoísmo e cultuava Rao como um deus, o deus supremo.

Os kryptonianos eram grandes cientistas tendo feito clonagem, viagens espaciais e muitas outras coisas acabando por fazer o planeta muito próspero e evoluído.

Exploração espacial Editar

Como os kryptonianos não podiam se afastar demais de seu planeta eles passaram a construir robôs-nave para manda-los a outros mundos para coletar as informações e então voltarem para Krypton, porém depois eles passaram a construir esses robô-naves para que eles fossem de mundo em mundo coletassem a informação e a mandasse a Krypton sem precisarem voltar ao planeta e ainda construíssem dispositivos que deixassem no planeta para coletar toda e qualquer nova informação que ele gerasse depois de centenas de milhares de anos eles tinham informações sobre trilhões de mundos diferentes.

Colonização espacial Editar

Apesar de não poderem se afastar muito de Krypton eles podiam ir para os outros planetas do sistema, então quando o planeta demonstrou sinais de um possível esgotamento, eles decidiram colonizar as três luas do planeta: KorotXeno e Mitne. Mesmo após a destruição de Wegthor, com 500 colonos, o programa avançou, apesar da objeção de muitos kryptonianos.

O programa avançou apesar da objeção de muitos kryptonianos. Após colonizarem as duas luas restantes planejaram fazer o mesmo com os outros planetas e foram até Rao III, porém descobriram que o planeta tinha uma gravidade muito grande, pois era maciço, mas o Grande Conselho de Krypton decidiu então colonizar as luas desse planeta, e os demais corpos em volta dele, que eram, literalmente, milhares.

Muitos kryptonianos tentaram sair do planeta por não concordarem com o regime do Grande Conselho, porém não conseguiam, pois eram detidos pelas Forças de Defesa de Krypton, sendo então presos e suas naves destruídas. Só muito tempo depois é que se descobriu o motivo de por que eles morriam no espaço, sua ligação com Krypton feita pelo Erradicador.

O Caso Jax-Ur Editar

Há algumas décadas um cientista chamado Jax-Ur planejou tomar o poder e criou um míssil, ele iria testar seu poder destruindo um asteroide que se aproximava de Krypton, entretanto ele acabou por atingir uma das luas do planeta e matou 500 pessoas que lá viviam. Após isso ele foi condenado a prisão perpétua sem direito a condicional, o único a receber tal pena.

Após tal evento ocorrer muitos passaram a ter medo de irem ao espaço para fazer colonização, mas eram ou incentivados pelo governo ou forçados pelo mesmo e acabavam por ir para o local designado.

Matriz de DNA Editar

Através das incursões de seus robôs no espaço os kryptonianos conseguiram dados sobre o DNA de espécies dos planetas visitados, eles não tinham amostras em si, mas tinham todos os dados referentes ao "DNA de uma quantidade quase infinita de espécies", segundo Jor-El.

Leis e prisões Editar

Em Krypton inicialmente os criminosos eram condenados a prisão de cristal, isto é, uma prisão que vagava pelo cosmos apagando suas tendências criminosas, porém tal não era 100% confiável e fugas aconteciam, assim como casos de libertos que voltavam a cometer crimes. Gra-Mo foi o ultimo a ser condenado a esse castigo, pois logo após foi abolido em favor da Zona Fantasma. Muitos criminosos kryptonianos foram presos em ambas as prisões.

Forças de Defesa de Krypton Editar

Foram criadas depois da Guerra Civil para manter a paz no planeta e impedir que outro conflito como aquele se inicia-se, passaram depois a ajudar também na defesa de uma possível invasão por parte de outro planeta, principalmente após sondas de Krypton terem sido atacadas. A patente maior era de Alto General e o comandante supremo era escolhido entre os Altos Generais. O General Dru-Zod tentou utiliza-las para tomar o poder em Krypton, depois de ter prendido aqueles que lhe foram contra, porém foi detido por Jor-El e muitos de seus membros foram então presos na Zona Fantasma e outros foram apenas expulsos da corporação. Foi após esse incidente que alguns dos colonos resolveram tentar se desligar do Grande Conselho de Krypton, alguns conseguindo outros não.

Destruição Editar

A bomba químico-nuclear colocada pelo Zero Negativo no núcleo do planeta não explodiu de imediato, porém ela acabou por transformar o núcleo em kryptonita o que causou drásticas mudanças climáticas no planeta e acabou por o destruir, apenas sobrevivendo Kal-ElKara Zor-El e Cir In-Ze, além dos presos na Zona Fantasma.

Interferência de bloqueador de anúncios detectada!


A Wikia é um site grátis que ganha dinheiro com publicidade. Nós temos uma experiência modificada para leitores usando bloqueadores de anúncios

A Wikia não é acessível se você fez outras modificações. Remova o bloqueador de anúncios personalizado para que a página carregue como esperado.

Também no FANDOM

Wiki aleatória